9

Olá a tod@s!

 

Espero que se encontrem bem e que tenham tido a oportunidade de comer umas boas castanhas nesta época de São Martinho.

 

No artigo de hoje, convido a equipa de tradução de EN-PT(PT) a revisitar os temas da coerência e da coesão textual com base em exemplos reais de traduções verificadas pelos especialistas linguísticos da Gengo no passado mês de outubro.

 

Antes de avançarmos, relembro que estão disponíveis para consulta onze artigos desta série (aqui: III , IIIIVVVIVIIVIIIIX , X e XI), bem como o artigo EN>PT (EU) Erros Comuns  — uma compilação de recursos extensa e rica que pode ser muito útil para ajudar a evitar os erros de tradução mais comuns e frequentes.

 

 

1. Coesão textual

 

«A palavra texto vem do latim teccere (construir, tecer), cujo particípio passado, textus, também era usado como substantivo, e significava «maneira de tecer», ou «coisa tecida» e, ainda mais tarde, “estrutura”». *1

Assim, quer figurativamente, quer na aceção literal do termo, um texto é um “tecido” que resulta do “entrelaçamento” harmonioso das várias unidades que o compõem.

Dois mecanismos essenciais para assegurar a harmonia de um texto (ou tecido) são a coerência e a coesão (gramatical e lexical).

No que diz respeito à coesão: «Um texto é coeso quando existe continuidade na apresentação e articulação da informação veiculada pelas expressões linguísticas que o compõem» (Raposo et al., 2013: 1701). Para tal, é necessário respeitar uma série de princípios que, por motivos de falta de tempo e de espaço, não podemos enumerar aqui, mas que deixo disponíveis para consulta na conclusão deste artigo.

Falaremos apenas da quebra do princípio da coesão referencial, ilustrada nos dois exemplos abaixo, devido à falta de concordância entre o referente (expresso e sublinhado na primeira frase) e os elementos que evocam esse referente (expressos e assinalados a negrito na segunda frase).

 

Exemplo 1

EN — A family member has the [[[XY]]] and recommended it to us. We installed them inside and outside our home.

PT — Um parente nosso tem uma [[[XY]]] e recomendou-a. Instalámo-las na parte de dentro e na parte de fora de nossa casa.

PT — Um parente nosso tem o sistema [[[XY]]] e recomendou-o. Instalámos as câmaras na parte de dentro e na parte de fora de nossa casa.

Nota: [[XY]] refere-se à marca de uma câmara de vigilância

 

Neste caso, o verbo instalar, não estabeleceu concordância em número com o referente que evoca: “uma câmara”. I.e., ao escrever “Instalámos uma câmara” gera-se uma quebra na ligação lógica entre as duas frases.

No exemplo, o termo [[XY]] refere-se à marca de uma câmara de vigilância. Contudo, na frase em causa, o testemunho referia-se não apenas a uma câmara, mas ao sistema de vigilância (que pode ser composto por uma ou mais câmaras). Ao escrever “o sistema” em vez de “uma câmara”, conseguimos assegurar a ligação lógica entre as duas frases e justificar o uso do plural “Instalámos as câmaras” (do sistema).

 

Exemplo 2

EN — Automatically brushes all teeth. // It is not only faster, but also more effective.

PT — Escova todos os dentes automaticamente. // Não só é mais rápido como também é mais eficiente.

PT — Escova todos os dentes automaticamente. // Não só é mais rápida como também é mais eficaz.

 

Neste caso, ocorreu uma falha de coesão referencial porque a expressão adverbial “mais rápido” não concordou em género com o referente “uma escova de dentes”. Uma vez mais, foi perturbada a ligação lógica entre as duas frases, bem como a lógica que se baseia no conhecimento que temos do mundo. Se pensarmos em “algo que escova os dentes”, muito provavelmente estaremos a pensar numa “escova de dentes”. Note-se ainda que a palavra “effective” se traduz para português como eficaz, sendo que “efficient” corresponde a “eficiente".

 

2. Coerência textual

 

No que diz respeito à coerência: um texto é coerente quando as ideias que o constituem se encontram ligadas de forma lógica e quando aquilo que transmite está de acordo com o conhecimento que cada locutor e interlocutor têm do mundo.

No exemplo abaixo, o uso do termo “portão” em vez de “porta de embarque” num contexto aeroportuário, contraria o conhecimento que os leitores têm do mundo (ou dos aeroportos). Uma vez mais, ao pensar num “portão” dentro de um aeroporto o leitor não é remetido para uma “porta de embarque”, mas talvez para um portão que possa existir no espaço exterior do aeroporto.

 

Exemplo

EN — Check all the necessary airports points ahead, like gate, bathroom and shops.  

PT — Veja antecipadamente os pontos dos aeroportos como o portão, a casa de banho e as lojas.

PT — Confira antecipadamente onde se localizam os pontos mais importantes de cada aeroporto, como a porta de embarque, as casas de banho ou as lojas.

 

Estes exemplos ilustram de forma muito parcial e limitada os vários tipos de falhas de coerência e coesão textual que podem ocorrer num texto (tradução). Por isso, convido todos os tradutores que, por qualquer motivo, não estejam familiarizados com estes dois temas a consultar os documentos recomendados abaixo e a procurar avaliar se, em cada nova tradução, o texto final é totalmente coeso e coerente.

Para um conhecimento mais aprofundado, embora resumido, dos vários mecanismos de coesão e coerência, recomendo a leitura deste PowerPoint, elaborado por Maria Serafina Roque e desta Ficha Gramatical.

 

Como sempre, não hesitem em partilhar as vossas dúvidas e sugestões.

 

Até breve e continuação de boas traduções e castanhadas. :)

 

Sara Nogueira

Especialista linguística de português europeu na Gengo

 

*1 Retirado de: https://www.meudicionario.org/tecessem

0件のコメント

サインインしてコメントを残してください。