3

Olá a tod@s!

 

Espero que se encontrem bem.

 

Depois dos artigos de setembro, outubro e novembro, dezembro, fevereiro,  abril e maio, regressamos com reflexões inspiradas em opções de tradução assinaladas ao longo do mês de junho.

 

No artigo de hoje, relembramos a importância das instruções do cliente, as regras de escrita das referências monetárias e a importância do contexto, com um exemplo de ambiguidade no texto de partida e a sugestão de uma estratégia de tradução para situações semelhantes.

 

A) A importância das instruções do cliente

Na maioria dos casos, o Guia de Estilo e a equipa de Especialistas Linguísticos da Gengo advogam o uso do tratamento formal — com o verbo a concordar com o pronome “você” — salvo quando especificamente indicado em contrário pelo cliente ou quando o público-alvo é muito jovem.

 

Muito embora esta e todas as outras recomendações gramaticais se mantenham em vigor, no mundo da tradução prevalecem as instruções do cliente. É possível que algumas instruções nos pareçam “estranhas”, e pode parecer contraditório incentivar a equipa de tradução a produzir textos “aparentemente” menos adequados. No entanto, mesmo que as instruções de um cliente gerem algum tipo de desadequação ou estranheza, compete ao revisor ou à equipa de controlo de qualidade linguística do cliente sugerir melhorias ou alterações futuras. O tradutor deverá seguir as instruções do cliente podendo, se for oportuno, colocar dúvidas ou deixar uma nota de tradução dirigida ao cliente.

No exemplo abaixo, o guia de estilo facultado pelo cliente solicitava o emprego do pronome informal (tu). Assim, aquilo que, de outra forma, estaria correto, passou a ser considerado um erro de conformidade.

 

Exemplo:

EN - For the perfect cup, simply fill the filter with fresh, filter ground coffee.

PT- Para a chávena de café perfeita, encha simplesmente o filtro com café fresco moído para filtro. ✖

PT- Para uma chávena de café perfeita, basta encheres o filtro com café fresco para cafeteiras de filtro. ✔

 

B) A importância do contexto na escolha de uma solução de tradução

Uma dúvida que surge frequentemente na tradução de verbos no infinitivo (em inglês) é se os devemos traduzir no infinitivo ou no imperativo (em português). Uma vez mais, é o contexto (e o cotexto) que determinam se o verbo deve ser traduzido no infinitivo ou no imperativo.

Regra geral, os títulos de instruções ou secções, os nomes de botões e os elementos de uma lista de verificação, por exemplo, traduzem-se no infinitivo (ex., criar um vídeo) e os passos ou instruções de execução traduzem-se no imperativo (ex. crie um vídeo).

No entanto, nem sempre existe contexto suficiente para determinar a função de uma frase. Assim, em caso de ambiguidade no texto de partida e na ausência de maior contexto a estratégia de tradução recomendada é a utilizar a opção mais “neutra” possível do ponto de vista da interpretação. Por exemplo, na ausência de maior contexto, o uso do verbo no infinitivo (“criar um vídeo”) é uma opção mais neutra e abrangente do que o uso do verbo no imperativo, (“crie um vídeo”), na medida em que a primeira solução permite mais do que uma interpretação e a segunda não.

Neste e em todos os outros casos de ambiguidade que o contexto ou cotexto não permitam solucionar, é muito útil adotar uma solução de tradução que seja o menos restritiva possível. Esta estratégia pode ajudar-nos a “contornar” um problema de falta de contexto sem gerar, necessariamente, uma perda ou desvio do significado original.

 

Exemplo:

EN - Create a video

PT - Crie um vídeo ✖ (?)

PT - Criar um vídeo ✔

 

O exemplo acima só se aplica aos casos em que o contexto não permita identificar a função da frase.

 

C) A escrita das referências monetárias em português europeu

As distrações ou dúvidas na forma como se deve redigir um número e os símbolos que o acompanham, como no exemplo abaixo, também vão sendo frequentes.

 

Exemplo:

EN - A piece of land is on average €11,000.

PT- Em média, um pedaço de terra custa €11.000. ✖

PT- Em média, um pedaço de terra custa 11.000 €. ✔

 

Para facilitar o esclarecimento destas dúvidas sugerimos uma consulta ao ponto 4 do Guia de Estilo da Gengo e ao Código de Redação Interinstitucional da EU.

Uma vez mais, não hesitem em partilhar as vossas dúvidas e sugestões.

 

Até breve e continuação de boas traduções!

 

Sara Nogueira

Especialista linguística de português europeu na Gengo

2 comments

  • 1
    Avatar
    Ana

    Olá, Sara. Tudo bem?

    Obrigada por mais este artigo.

    Gostaria apenas de confirmar uma questão. No ponto C, o número deveria ser corrigido para 11 000 € (com espaço), certo?

  • 0
    Avatar
    Sara (EN>PT Language Specialist)

    Olá Ana.

    Tudo bem, espero que contigo também. :)

    Muito obrigada pelo teu comentário.

    De acordo com o Guia de Estilo da Gengo sim. Mas em PT pode grafar-se com ponto ou espaço. Ambos estão corretos.

    O Guia de Estilo da Gengo, em aspetos como este (que permitem várias opções corretas) serve para orientar e criar uma maior coerência nas traduções produzidas em PT. 

    Mas, como referido na alínea A), o cliente poderá ter o seu prório Guia de Estilo e, nesse caso, é mais coerente seguir a sua linha estilística.

    Não havendo indicação concreta, pode escrever-se 11.000 € ou 11 000 € (sempre com espaço entre o número e o símbolo monetário).

    Um beijinho e resto de boa semana. 

     

     

Please sign in to leave a comment.